Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dramas de Primeiro Mundo

Dramas de Primeiro Mundo

15.Ago.14

Suicídio é para os cobardes (epá, shut the fuck up)

Diana M.
Esta semana foi forte. Muito principalmente pela morte de Robin Williams, de quem eu gostava muito e que para sempre será "Oh Captain, My Captain". Se eu aqui tivesse uma mesa, punha-me em pé em cima dela. Sobre este tema não vou dizer muito mais do que aquilo que já disse e que se vem dizendo nas redes sociais.

Mas sempre que vejo alguém dizer que quem se suicida é cobarde e fraco, sobe-me o sangue à cabeça e apetece-me bater-lhes. Mas que raio sabem vocês sobre o sofrimento em que o homem estava, para virem mandar bitaites desses? Já passaram por isso? Não? Então estejam calados e não digam barbaridades. Alguém que comete um acto destes está num nível de sofrimento e desespero tal que encara a morte como a única saída. O único alívio. Não é uma coisa que se decide no impulso do momento. Não é para chamar a atenção. A depressão não é estar triste. Não é passar dias na cama a chorar. Já pensaram que podem passar meses, anos, sem sequer sentirem nada? Não sentir - isto foi o que a depressão foi para mim. Sabem o quão angustiante é não sentir? Não sei os motivos certos sobre o que levou Robin Williams, ou qualquer outra pessoa que se tenha suicidado, a chegar a esse extremo, mas percebo e não condeno. É muito fácil falar e julgar os outros quando não se tem conhecimento de causa. Mas, por isso mesmo, é que, para mim, o que essas pessoas dizem não tem valor. Claro que nem todos os que têm depressão são suicidas. Mas também por isso é que há vários graus de depressão. Além disso, as pessoas são todas diferentes e cada uma lida com os seus problemas de maneira diferente. Há quem beba até ficar inconsciente. "Isso assim tá bem, até percebo." Agora matar-se é que não! A depressão não se vê. Costumo dizer que a depressão não dói em lado nenhum e dói em todo o lado ao mesmo tempo. 

Eu não posso falar da dor de perder um filho se nunca passei por isso. É inimaginável para mim. Se nunca passaram por pensarem em matar-se todos os dias, então também não têm o direito de mandar postas de pescada como se fossem donos da razão. Porque não são. Não me vou alongar mais, porque o meu objectivo não é vir pregar às massas, vim só dar a minha opinião sobre a facilidade que as pessoas têm de julgar sem conhecimento de causa. O suicídio é algo triste, fruto do desespero e da desilusão, e ainda muito pouco compreendido pela maioria das pessoas. Mas, ainda assim, acontece porque as pessoas não pedem ajuda. Não falam. E não falam por causa das constantes piadas, do preconceito, da leveza com que alguns encaram o assunto. Não compreendem nem querem compreender. Fico-me por aqui e deixo-vos um texto de que gostei muito, sobre este assunto: Never send to know.

So long, my Captain!