Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dramas de Primeiro Mundo

Dramas de Primeiro Mundo

24.Mar.17

Voltas e Reviravoltas

Diana M.

 

barnet.jpg

 (Woman and the Sea, de Will Barnet)

 

Ia escrever um post. Já ia quase a meio, mas acabei por apagá-lo. Ia escrever sobre a volta que a minha vida vai dar porque, finalmente, consegui uma oportunidade de estar a trabalhar no centro de investigação a que pertenço. Vou ganhar dinheiro, vou fazer coisas e, mais importante, vou ser financeiramente independente. Ia falar da precariedade no ambiente académico, ia falar daquilo que vejo todos os dias, mas achei que não era disso que eu queria falar.

 

Finalmente vou ser independente. Imaginam-se, aos 30 anos não serem independentes? Mesmo que trabalhem e vivam em casa dos pais, imaginam-se a pedir-lhes dinheiro para as coisas que precisam/querem fazer/comprar? Eu acho que ainda nem assimilei bem a situação. Tenho imensos planos acumulados estes anos todos, tenho coisas que preciso de fazer (comprar uns óculos novos porque estou mais pitosga, fazer um check-up, comprar um telemóvel porque ando com um emprestado desde que o meu foi tomar banho numa sanita, em novembro...), coisas que quero fazer sem me sentir limitada ao orçamento (já muito esticadinho) familiar. Vai ser uma liberdade tão grande que eu nem sequer tou a ver bem. Para algumas pessoas posso estar a fazer um grande alarido por algo tão banal e tão corriqueiro. Mas para mim, é o início da minha liberdade e da minha independência. Não só financeira, mas afectiva e emocional. Quero ir almoçar/jantar com os meus amigos onde me apetecer. Quero ir ao cinema quantas vezes me apetecer. Quero oferecer prendas quando passar por uma loja e me lembrar de alguém. Quero apanhar o comboio e ir ao Porto. Quero comprar livros (oh, a desgraça!). Quero viajar. Quero ir a concertos. Quero ir ao cabeleireiro. Quero comprar maquilhagem. Quero pagar contas. Sim, quero pagar contas!! Quero sair de casa e ter o meu canto. Quero todas as possibilidades.

 

Este ano vai ser O ano. Tem de ser!

"Porque o que tem de ser, tem muita força..."

4 comentários

Comentar post