Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dramas de Primeiro Mundo

Dramas de Primeiro Mundo

03.Out.17

Straight Outta Compton, de F. Gary Gray

Diana M.

MPW-102114.jpeg

Filme: Straight Outta Compton

Realizador: F. Gary Gray

Ano: 2015

 

Vi este filme no fim-de-semana passado. Queria vê-lo desde que ele saiu porque, embora eu ouça muito mais rock e metal, também tenho algumas afinidades com este tipo de rap mais duro e hardcore - tanto em inglês como em português. Não tenho um grande conhecimento, é verdade, provavelmente conheço aquilo que é um pouco mais mainstream, mas, ainda assim, gosto bastante. Por isso, foi com alguma expectativa que parti para este Straight Outta Compton, uma biopic do grupo de rap N.W.A. 

 

Para quem não os conhece, os N.W.A, foram um dos grupos pioneiros naquilo que hoje em dia é conhecido como “gangsta rap”. Formado em meados dos anos 80, o grupo contava com membros que viviam em Compton, em Los Angeles, California: os dj’s Dr. Dre e Yella e os mc’s Eazy-E, Ice Cube e MC Ren. A música deles espelhava a realidade dura das ruas: o tráfico de drogas, a pertença a gangs, a violência abusiva da polícia, a pobreza, o crime - dando voz a uma geração que não era ouvida, trazendo a público as suas experiências na forma de um estilo musical mais brutal e, quase sempre, explosivo.

 

Este filme mostra, precisamente, a formação do grupo, o sucesso do álbum com o mesmo nome do filme, do qual surgiram hinos como “Straight Outra Compton”, “Gangsta Gangsta” e o clássico “Fuck tha Police”, todos os problemas que deram origem ao fim do grupo, bem como os anos seguintes, seguindo o início das carreiras e vidas pessoais de cada um dos membros, com foco especial em Dr. Dre, Ice Cube e Eazy-E.

 

Enquanto biopic, acho que este filme está muito bem feito. Retrata de forma bastante realista todos os elementos cruciais para percebermos estas pessoas, o contexto em que viveram e as razões pelas quais tiveram tanto sucesso. Este filme oferece um vislumbre bastante credível e fiel do mundo do “gangsta rap” no seu início, revelando a realidade crua e sem grande glamour, apesar de bastantes excessos.

 

Eu gostei muito deste filme e aconselho-o a todos os que gostam de rap, mas também a todos aqueles que tenham curiosidade sobre os N.W.A e os seus membros, alguns que são, hoje em dia, nomes sonantes e de respeito no rap e hip-hop, como Dr. Dre e Ice Cube. Gostei da objectividade do filme, da crueza com que a história nos é apresentada, sem tretas, sem embelezamentos, revelando que o maior objectivo é contar um pouco da história do rap e a história dos N.W.A. 

 

No final do filme senti que estive mais de duas horas entretida com uma história com a qual aprendi, porque mostra uma realidade que não é a minha, e que me deixou emocionalmente preenchida, porque passamos por uma montanha-russa de emoções em relação a tudo o que nos é apresentado. Os actores estão irrepreensíveis e conseguiram captar a essência dos protagonistas da vida real - o actor que faz de Ice Cube é, aliás, o filho do verdadeiro Ice Cube. Portanto, passei o filme todo a pensar “fizeram um casting do caraças com este actor que faz de Ice Cube. Parece-se e age mesmo como ele”. Afinal era o filho. Parecenças à parte, não tenho nada a apontar de negativo nas suas performances. Achei que todos encarnaram muito bem as personagens da vida real que estavam a representar.

 

Por isso, se gostarem de filmes sobre músicos, sobre rap em particular, sobre a realidade dura da vida em bairros mais pobres e desfavorecidos de Los Angeles, este é um filme do qual irão gostar. Aconselho vivamente. Podem ver o trailer abaixo.

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.